sexta-feira, 16 de junho de 2017

Aparências

Aparências. Muitos vivem delas. E se assim não for, parece que não têm vida própria.
Sempre enfiados nas vidas alheias. É tanto blá blá blá… e depois na hora da verdade são uns miseráveis.

E o mesmo se passa com aqueles que apregoam tanta felicidade onde ela não existe. E casos destes são mais do que aqueles que pensamos. E mesmo ali ao nosso lado. Basta olhar com atenção.

Isto, porque vivemos |sempre foi assim, mas agora mais| na era do exibicionismo. Fulano tem X? Eu tenho XY. Pumba. Não posso? Não faz mal. Invento maneira de o conseguir. Passo vergonha com 3, mas faço vista boa perante 100!!! É este o reflexo geral da nossa presente sociedade. Uns miseráveis.

Mas já se sabe, que perigoso, é viver infeliz. Há que combater o perigo, então. Nem que seja com mentiras. Criando um abismo sem volta. Jamais acordarão. Jamais cairão em si e na dura realidade. E se sim, jamais a aceitarão. É como uma bola de neve que cresce, cresce e cresce. O que acontece quando chega o calor? O mesmo que estes ilusos que vivem delas, das aparências. Não há volta atrás. Ficam diminuídos à sua insignificância para sempre.

Aparências, é exatamente o tipo de dependência em que vive mais de metade da nossa sociedade. Tudo isso não tem mal, sempre e quando não prejudiquem a 3os (terceiros). Sim, porque da vida de cada um, cada um a sabe. E nós, os outros, nada a ver com isso.


“O facto do mar estar calmo na superfície , não significa que algo não esteja acontecendo nas profundezas”  - O Mundo de Sofia

Fontes:
Texto: Sandra Pereira
Foto: GoogleImages
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...