terça-feira, 30 de maio de 2017

Sobre ser feliz, ainda que tenha que deixar patir quem me faz bem.


É certo o que dizes.
Quando estás aqui, é como se nunca tivesses ido. É ver em cada lugar, em cada gesto, em cada palavra e em cada sorriso, o nosso passado neste presente bem vivo. É ser feliz sem dor e sem medo do que vem a seguir.
É sentir o coração cheio de bons sentimentos e agradecer as boas escolhas feitas.
É sentir extâse e uma força incrível de seguir em frente com o maior sorriso no rosto.
É muitas coisas boas.
Quando estás aqui, é mesmo isso. Sentir que nunca saiste de cá.



 E quando chega aquele momento de te dar o abraço da despedida?
Aí o meu mundo derruba-se com uma fragilidade tão vincada que parece que nunca fui forte e que os dias que virão vão ser dificeis de superar.
Aí é sentir o meu chão a abalar e olhar para um infinito de incertezas e de dias solitários.
Tu minha amiga, fazes-me tanta falta!






Mas depois, embrulhada em tantas lágrimas, apercebo-me que apesar deste lado duro da nossa existência, sou feliz. Sou muito feliz por te ter na minha vida. Porque sinto em ti uma capacidade de estares em mim sem que para isso estejamos frente a frente. Estás em cada recanto desta casa, numa simples orquídea que continua florescendo, nos meus filhos...e sempre no meu coração.


Contudo, cada vinda tua a este lugar, por mais feliz que seja, deixa sempre um sabor amargo a tristeza, saudade e a uma pena constante: e se nunca tivesses ido embora?

Amo-te muito minha pessoa.

Fontes:
Texto: Sandra Pereira
Foto: GoogleImages

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Rendimento necessário para se viver no Luxemburgo



A notícia é do jornal Contacto, e já data de Dezembro de 2016 ( há 5 meses atrás). Porém é uma notícia que pode interessar a muitos de vós que tendes como destino de emigração este país.
Os números são claros e não restam margens para dúvidas. E meus caros, acreditem que é mesmo assim. Pode até ficar com a certeza que estarão um pouco por baixo do que realmente se necessita, para viver um pouco mais que "decentemente".

"Um homem que viva sozinho requer 1.923 euros por mês para viver decentemente no Luxemburgo. Para um casal com dois filhos isso equivale a 3.935 euros por mês, segundo o estudo "Rumo a um orçamento de referência para o Luxemburgo", publicado esta quinta-feira pelo Statec.
O objetivo do estudo passa por identificar todas as necessidades básicas de uma pessoa ou família e calcular o orçamento necessário que garanta uma participação ativa na sociedade. 
O estudo do Statec revela que a habitação (incluindo renda, aquecimento, electricidade e outras despesas) constitui de longe a maior despesa no orçamento de todas as casas: 1.469 euros por mês para uma família de 4 pessoas. 
Seguem-se as despesas com a alimentação, 883 euros; com a vida social, 548 euros e com a mobilidade com 406 euros por mês
Para um casal sem filhos, as despesas com a habitação constituem quase 50% do orçamento mensal, à frente das despesas com a alimentação e a vida social. Para um homem ou uma mulher que viva sozinho, a habitação pesa mais sobre o orçamento por mês, com uma proporção que excede 50%."

Fontes:
Texto : Sandra Pereira e Contacto
Foto: GoogleImages

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Restaurante em Flash: Maybe Not Bob`s, Luxembourg

E o restaurante de hoje é: Maybe Not Bob's (clicar para ser redireccionado para a página oficial)

Tipo/Especialidade do restaurante: Cozinha Americana, Tex Mex, Burguers
Ambiente: Alegre, Divertido, Boa Música
Serviço: 3☆☆☆
Decoração: Americana
Comida: 3☆☆☆ ( Optei por um hambúrguer acompanhado de salada e batata doce, estava muito bom, mas achei a carne um pouco "muito ao natural" = falta de temperos)
Preço: 25€pax


Lembrete da origem deste post😊
""É um facto que  adoro comer. E se puder ser num bom restaurante, melhor.
E é que aqui, neste país de ar medieval, nem tudo é mau. Tem, ao contrário,  muitas coisas maravilhosas.
E uma delas são os restaurantes. Boa comida na mesa.
Poderia simplesmente chegar aqui e colocar uma extensa e longa lista de óptimos restaurantes luxemburgueses. Deixem-me corrigir: restaurantes afiliados no Luxemburgo.
Sim, porque o marido já fez um roteiro, não completo, mas muito extenso e variado. Mas não. Primeiro porque não seria a minha lista. E depois porque não seria a mesma coisa. Refiro-me à opinião crítica.  A minha opinião.  O que o marido gosta eu posso não aprovar....

E restaurantes afiliados no Luxemburgo porquê?
Porque salvo excepção, que os há, todos os que frequentei até ao momento e de todos os que ouço falar maravilhas são de várias nacionalidades, mas poucos ou nenhuns Luxemburgueses .""
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...