terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Para quê complicar?



Gosto das coisas simples e naturais. Quanto mais naturais e simples, melhores. Em tudo. Até na amizade.
E não gosto de pessoas invejosas e ressabiadas com tudo e todos... enfim com a vida. E quando não gosto, não consigo fingir o contrário. Não sei sorrir quando me apetece estar de ar fechado.
E sou tão óbvia que nem sequer me incomoda a rapidez com que os outros o percebem. Afinal também não pertenço àquele grupo de pessoas que se importam com o que os outros pensam de mim.

PS. Não gosto nada de pessoas que não defendem os seus ideais...ou os seus amigos. Não tem que ser sempre.  Mas há um momento chave....



PSS. Porque é que só haveria de ligar a um amigo quando ele faz anos, ou num evento menos feliz? Será que nos outros dias ele é menos importante para mim do que no dia de anos dele?

Por isso, quando me apetece, ligo. Quando tenho saudades, ligo. Quando sinto falta de ouvir uma voz amiga, ligo.

Ou será que esse amigo não vale o  irrisório custo monetário de uma chamada telefónica  a qualquer momento, salvo no dia de anos dele?? Para muitos talvez...

E sim, é uma crítica de desabafo de quem eu esperava mais e também uma demonstração do que faço com quem realmente me importo. Porque qualquer mensagem através de uma qualquer rede social por vezes não é suficiente para mostrar-mos o nosso amor....


Tampouco faz falta ligar todos os dias. O gesto não está na quantidade, mas sim na qualidade ☺


Fontes :
Texto: SandraPereira
Foto : Google images

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...