quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Luxemburgo em Agosto

Sabem aquelas aldeias portuguesas rusticamente pequeninas que são habitadas por 3 habitantes e uma carrada de fantasmas?
Pois assim é o Luxemburgo em pleno mês de Agosto!!!
E não estou a exagerar. Bem, talvez um pouco, mas só na descrição dos habitantes.
Quando digo que não há ninguém, é porque não há mesmo ninguém. Aqui na minha "aldeia", por exemplo, não há vislumbre de habitantes que não sejam exclusivamente luxemburgueses ou alemães ou franceses ( e poucos que são geralmente).  Vivo a 2km do centro da cidade de Luxemburgo, mesmo em frente a uma escola e a uma área de desporto e relaxe  (parque infantil incluído) e sei bem o movimento que há por aqui normalmente.
E quando não há escola há sempre algum conjunto de miúdos que vem dar uns toques numa qualquer bola, ou então balançar o corpo no baloiço do jardim. E se digo que desde que chegou o Agosto não há por aqui vivalma, não estou mesmo a exagerar. Ponto.



Sim. Isso quer mesmo dizer o óbvio. Que se não fossem os emigrantes,  o Luxemburgo era um deserto com mulheres feias (tema para outro post).

E no centro da cidade o cenário não é mais animador. Embora se note um pouco mais de movimento ressalta ainda mais a ausência dele.



Não é por acaso que Agosto é declarado oficialmente o mês dos emigrantes. Aqui neste país onde 20% da população é Portuguesa, e concretamente na minha zona habitacional onde mais de 80% são moradores portugueses, este fenómeno é bem visível.

E viva os emigrantes carago.

Fontes:
Texto e Fotos : Sandra Pereira

Praia à vista...YAY

Por aqui estamos, mais que nunca, finalmente em contagem decrescente.
Não, não,  não,  não é para ir para Campo Maior, nem para as famosas festas das flores. Nah!
É mesmo, e só, para ir, para o descanso merecido. Estar com os meus "homens" como tem que ser.
Precisamos de uns quantos dias assim. Juntos. A 3. Colocar a conversa em dia, que está demasiado atrasada. Passar dias como marido e mulher. Como pai e filho. Como pais e filhos  (mãe incluida).
Sim. Que a vida aqui por vezes não permite viver essa união familiar.

Ai, Algarve, Algarve,  estamos quase aí. Desejando. Muito.

Porque será que os últimos instantes são os que custam sempre mais?



Fontes :
Texto : SandraPereira
Foto : Google images

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

3 anos de casados ♡ Bodas de Couro

Foi ontem.
3 anos de vida marital. A melhor vida que eu podia ter. O melhor amor que me podia ter acontecido.
Paixão da minha vida. Aquela pessoa que me faz sentir borboletas na barriga.  O meu TUDO. A minha pessoa.


Foto da nossa sessão Love the Dress (pós-casamento) em Madrid, aquela cidade que nos acolheu durante 4 maravilhosos anos .

Saudades muitas. Deste dia ( o das fotos),  o do casamento e da cosmopolita Madrid.

Fontes :
Texto e Fotos : Sandra Pereira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...