terça-feira, 28 de julho de 2015

Da horta da vizinha, BIO

Uma das coisas boas de viver aqui é que apesar de consumir muito do supermercado, também consumimos muito directamente da horta. Produtos biológicos. Sem publicidade enganosa ☺.
Os nossos vizinhos são muito boa gente, basta dizer que são do Norte☺☺, e a toda a hora nos estão a encher o frigorífico com produtos fresquinhos,  acabadinhos de colher e algumas vezes ainda com vestígios de terra. Ora são alfaces ( e tenrinhas que são ) ora courgettes, outra hora são pepinos, feijão verde, salsa, abóboras, cebolas, tomates, couves....a lista não tem fim. E ovos fresquinhos. E também há fruta. Este ano houve cerejas☺


E mesmo agora acabei de cozer beterraba, também lá da horta, para a salada para acompanhar o jantarinho: patinhas de frango assadas com batata assada.



Fontes :
Texto e Fotos : Sandra Pereira


É bom saber ( Algumas condições importantes para emigrar para o Luxemburgo)

As noticias são claras, directas e sem rodeios revelando um panorama nada animador.
Eu nao cheguei a ver a notícia. Apenas a apresentação da mesma em letras grandes: Luxemburgo: 10000 na miséria.

E o certo é que sem ter visto, me atrevo aqui a dizer que é um cenário fácil de conseguir e mais real do que muita gente pensa ser.

O Luxemburgo é um país único. Muito correcto, ou pelo menos essa é a imagem que passam. Não é fácil ser clandestino aqui. Que também os há, sim, mas muito sofridos. A menos que quem os ajude sejam bastante abastados. Sim, em dinheiro.

Algumas coisas/dicas importantes a saber ( para quem está a pensar emigrar para aqui):

# 1 (e talvez a mais importante de todas) : TER um CONTRATO DE TRABALHO 

#2 Se não tiver contrato de trabalho é bom que pertença a um agregado familiar cujo pelo menos um membro tenha contrato de trabalho

#3 Cada familia/agregado familiar,  tem obrigatoriamente de estar registado. Na comuna.  Na Caisse Maladie.  Isto se quer viver bem e usufruir dos benefícios de ser cidadão em terras luxemburguesas ( e com o viver bem, refiro-me a ter regalias de saúde, que é no fundo o mais importante de tudo)


Cartão Azul: Cartão da Caisse Maladie (Segurança Social)
Cartão creme: Cartão de Registo na Comuna (Câmara Municipal ) como prova de habitante do Grão - Ducado  - Luxemburgo 

#4 Que tenham consciência que apesar do salário mínimo luxemburguês  ser aparentemente alto (comparado com outros paises) = aproximadamente 1800€ isto NÃO é suficiente para uma família viver "desafogada" de problemas ( o nível de vida luxemburguês é muito caro sendo que com um salário por si só é totalmente impossível chegar ao fim do mês  ( por exemplo, uma casa aqui com 1 quarto pode custar mensalmente uma média de 800€! Para interessados ver estes 2 post's que escrevi aqui e aqui )

#5 Ainda não vi a lei onde isto está possivelmente escrito, mas segundo vários testemunhos, aqui no Luxemburgo os irmãos de sexo diferentes ( menino e menina) não podem compartir quarto!!!! Pelo que isto sobrepõe o aluguer/compra de uma casa com pelo menos 3 quartos para uma família de 4 cujos filhos sejam 2 e de sexo diferente.

De momento deixo estas dicas aqui.
Mais para breve.

Fontes:
Texto : SandraPereira
Foto : SandraPereira

Ignorar



☆Da maldade alheia e não só.

☆Quando não gosto de alguém, Ignorar, é também a atitude que melhor me descreve. Sou muito boa nisto. Nem boa, nem mais ou menos. É  mesmo, muito boa. Se é bom ou mau, isso já não sei....

☆Ignoro também quando não me apetece "discutir razões" com ninguém (mas isso não quer dizer que dê a razão ao outro )

☆ E por fim, Ignoro muito, quem por algo me desiludiu....

Fontes :
Texto : SandraPereira
Foto : Google images
 

sábado, 18 de julho de 2015

Restaurante em Flash: Lisboa II, Luxembourg

E o restaurante de hoje é:

Lisboa II (clicar para ser redireccionado para a página oficial)

Tipo/Especialidade do restaurante: Português 
Ambiente: Calmo 
Serviço: 4 estrelas 
Decoração: Moderna 
Comida: Top
Preço: 25/30€ pax



Lembrete da origem deste post😊
""É um facto que  adoro comer. E se puder ser num bom restaurante, melhor.
E é que aqui, neste país de ar medieval, nem tudo é mau. Tem, ao contrário,  muitas coisas maravilhosas.
E uma delas são os restaurantes. Boa comida na mesa.
Poderia simplesmente chegar aqui e colocar uma extensa e longa lista de óptimos restaurantes luxemburgueses. Deixem-me corrigir: restaurantes afiliados no Luxemburgo.
Sim, porque o marido já fez um roteiro, nao completo, mas muito extenso e variado. Mas não. Primeiro porque não seria a minha lista. E depois porque não seria a mesma coisa. Refiro-me à opinião crítica.  A minha opinião.  O que o marido gosta eu posso não aprovar....

E restaurantes afiliados no Luxemburgo porquê?
Porque salvo excepção, que os há, todos os que frequentei até ao momento e de todos os que ouço falar maravilhas são de várias nacionalidades, mas poucos ou nenhuns Luxemburgueses .""


Fontes :
Texto e Foto : SandraPereira e google images

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Bodas de Couro

Faltam exactamente 18 dias para festejarmos uma das datas mais importantes da nossa vida.

3 anos de casados!!!!

Nem quero acreditar que o tempo passa assim tãoooo rápido.
Dizer só que estes últimos 3 anos têm sido uma das minhas aventuras mais maravilhosas, exigentes e muito gratificantes. A vida tem sido generosa comigo e brindado-me com uma dose Mega de amor para dar e receber.
Não significa que não tenhamos os nossos momentos menos bons, mas deles retiramos apenas experiência e sabedoria.
E ainda bem que existem. São sinónimo de que o Amor pode com Tudo.

Love you my baby❤



Fontes :
Texto e Fotos : Sandra Pereira e google images

quinta-feira, 16 de julho de 2015

Hospital Público em Luxembourg

Também  já vivi a experiência  de ter que me deslocar a um hospital  público  aqui no Luxemburgo.  E o que posso dizer é que o procedimento  não é muito diferente do de Espanha ( não comparo com Portugal porque há imensos anos que não usufruo dos seus serviços e por isso mesmo não sei como funciona actualmente. )

Etapas e duração de uma consulta de urgências na vila do Luxemburgo:

 1. Em primeiro lugar saber qual o Hospital que está de serviço  ( embora existam vários,  assim como as farmácias também os hospitais tem as chamadas guardas de urgência )
 2. Chegar ao hospital e fazer a pré -inscrição da consulta.
 3. Esperar numa ante-sala de espera improvisada.
 4. Ser chamada para uma pré avaliação por uma enfermeira ( avaliar a tensão arterial, e saber qual o motivo que nos leva ali) sendo-nos colocada uma pulseira antifuga no pulso com os nossos dados.
 5. Ser dirigido para a sala oficial de espera.
 6. Esperar indeterminadamente por ser atendida
 7. Ser finalmente atendida ao fim de 4 horas de espera.
 8. Vale a simpatia e profissionalismo do pessoal médico, não sendo contudo suficiente para colmatar o desesperado processo de espera.

E é assim que se procede para ter acesso a uma consulta de urgência.
Finalmente recebe-se a factura em casa para pagar: 39€.
Também pode ser mais ou menos.  Depende da hora a que for atendida.
Uma vez mais, à semelhança das farmácias também as consultas de urgência funcionam à base de taxas.  Se a consulta for após o horário normal de trabalho, esta será mais cara.
O ponto a favor é que o valor da consulta será reembolsado em 80% pela Caisse Maladie, ( a Segurança Social no Luxemburgo ).

Pode-se dar o caso de eventualmente uma ou outra clínica sem serviço expresso e dedicado à urgência, proceder ao atendimento urgente. Um destes dias tive que ir a uma urgência e fui a uma clínica aqui mesmo ao lado de casa, na qual fui atendida de urgência pelo médico de medicina geral. Nem tudo é mau☺

Já as crianças funciona um pouco diferente. Atendidas num hospital e género diferente do dos adultos. Existem as clínicas e urgências pediátricas com destino exclusivo ao atendimento das crianças,  onde o atendimento é quase imediato (com excepção de algumas urgências nas quais se demora igualmente uma eterniade). O valor da consulta é gratuita.

Fontes:
Texto e fotos: Sandra Pereira

É água com sal e areia

Tem dias assim!

Não sei se porque um dos meus pilares não está aqui, é já está lá de férias,  se por pura nostalgia, ou se porque simplesmente me deu para isto.
O certo é que hoje deu-me uma vontade enorme de sair daqui e estar lá.
No horizonte entre os dois azuis. O do mar e o do céu.
Vontade de sentir o cheiro a sal e mar.


Fontes:
Texto e Fotos : Sandra Pereira

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Viver com medo....às enxaquecas

Não ter vida privada e social é desgastante.
Viver com medo e não saber quando vai vir a próxima crise é frustrante.
Pensar em fazer planos e não poder é stressante.
E ser mãe a tempo inteiro dividindo este tempo com uma p*** de uma enxaqueca é irritante, frustrante, stressante, desesperante.....
E sim. Choro. Choro muito. De raiva, impotência, cansaço,  frustração e dor. De muita dor. Quem sofre deste mal sabe do que falo.
Vem sem aviso prévio. Instala-se de mansinho para logo atacar como uma víbora ( não conheço estas dores mas dizem que são alucinantemente fortes ). E não vem sozinha. Tráz com ela náuseas, tonturas, vómitos, intolerância a odores  e a luz e até ao mais mínimo movimento do corpo. Requer que eu esteja ali quieta, imobilizada sem respirar quase!
O que me apetece nestes momentos!? Muitas coisas. E garanto que nenhuma delas é nem boa nem positiva.

Tem-me valido a ajuda duma super e querida amiga,  do sempre presente marido, e até do meu santo filho que parece perceber que a mãe está mal e nestes momentos porta-se ( de resto como sempre) de maravilha.
Mas apesar de ter toda esta gente do meu lado, isto não é nem nunca foi uma situação viável. E a procura de ajuda médica  apesar de ser um facto ainda não fez muito efeito.
Começo hoje um novo tratamento com a esperança que seja do mais eficaz e que acabe com estas crises diárias em menos de nada. Por favor...

Alguém aí desse lado que sofra do mesmo, já experimentou algum tratamento eficaz? Se sim, por favor comparta comigo. Obrigada.☺



Fontes :
Texto: Sandra Pereira
Fotos : Google images

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Londres, essa magnífica cidade

Londres quase que foi e depois não foi...mas agora foi☺
Explico:
Londres foi um destino/viagem que já esteve programado noutra altura, mas que tivemos que cancelar por motivos pessoais. Sem dramas. Para tudo há uma altura certa.
E neste mês de Junho 2015 foi tempo de concretizá-la por fim. Foi também uma (re)prenda. A minha prenda do dia dos Namorados deste Fevereiro de 2015. Adoro as prendas do marido. São sempre TOP. 🔝

Já sei que digo sempre o mesmo em todos os destinos.  Mas Londres é mesmo para repetir.  Não só porque adorei a cidade mas porque nos ficou muita coisa por visitar e conhecer. Fomos 4 dias. Mas não foram suficientes.

E Junho é uma data fantástica porque sendo Verão,  a possibilidade de apanhar bom tempo é redobrada e foi o que nos aconteceu.  Não nos livrámos da chuva. Não.  Mas esta veio quando regressávamos ao hotel ao fim de um dia em cheio.

Para quem tem mais "liberdade" qualquer meio de conhecer a cidade é óptimo, refiro-me a pé,  de metro, de autocarro, táxi. ...
Mas para nós,  que levamos o nosso mais que tudo connosco, sempre, as nossas possibilidades são um pouco condicionadas.... assim que optámos pelos famosos autocarros turísticos. Bilhetes válidos para 48 horas, bebé grátis, e ainda com direito a cruzeiro no rio Thames. Desfrutamos de tudo. Fantástico.

E tudo o que tenho a dizer desta cidade, resume-se numa só palavra: MAGNÍFICA.
Deixo os pormenores para um futuro post de quando regressar a Londres.

Dicas?
Muitas. Podem ver todas aqui neste site que uso sempre nas nossas viagens. Corresponde totalmente à realidade e com informação super actualizada.

Hotel:
Melhor alugar perto das estações centrais e com destino directo ao aeroporto escolhido.

Dinheiro:
Não há necessidade de levar dinheiro local (libras). Em todos os sítios aceitam cartão visa, Mastercard e outros... e em muitos sítios o pagamento com cartão é até a única forma de pagamento.  (Por exemplo, os táxis também  aceitam cartão. )

Alimentação:
Não vir embora de Londres sem tomar o típico pequeno-almoço inglês ☺

Última dica MUITO IMPORTANTE:
Há hora de fazer o  Chek in no aeroporto, não facilitar com os timmings. Apesar da Inglaterra fazer parte da União Económica Europeia, não nos livramos de ter que passar o controlo dos Cartão Cidadão vs Passaporte, para o qual estão sempre umas grandes filas. Nós nao sabiamos disto, sendo que inicialmente usufruindo de muito tempo até levantar voo depressa ficámos quase em terra.

E milhares de outras que podem comprovar no site acima referido.










Saudades já dessa cosmopolita Londres.

P.S. Vão, que vale muito a pena☺



Fontes :
Texto e Fotos : Sandra Pereira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...