terça-feira, 24 de novembro de 2015

A propósito dos atentados terroristas

O Luxemburgo é uma cidade tão pequenina, que qualquer atentado que aqui se fizesse, não teria o mesmo impacto que em Paris. Mas isso é a nível "exterior", porque impacto sempre teria. Principalmente em Portugal dado a elevada classe emigrante que por cá estamos, e nos países vizinhos e fronteiriços. Seguramente que estes iriam sentir muito daquilo que meio Mundo sentiu em relação aos atentados em Paris deste triste e fatídico 13 de Novembro.
Contudo, seja como for, ainda assim, elas, as ameaças palpáveis chegaram cá. E tiveram que ser sérias, para se ter procedido a vários desalojamentos de vários edifícios estranhos entre si.
Uns no Sul do país e outros bem no centro do coração da cidade. 3, foi o número de ameaças até agora. Um deles coincidente na data e local de onde me encontrava com toda a família a desfrutar de um almoço de aniversário do meu mais que tudo!!! Por sorte não me enteirei de  nada no momento e tampouco a ameaça foi levada até ao seu mais extremo.
O certo é que este cenário que se vive, de medo , não é nada agradável e menos ainda para quem tem filhos e uma família que ama mais que tudo.

Contudo, não podemos ceder ao medo e há que viver a nossa vida tal qual o faríamos antes destes atentados acontecerem. Mesmo não sendo fácil.

3 dias após os atentados em Paris, fui a França,  eu e o meu mais que tudo. Mas, apesar de sentir uma certa paz e confiança, chegada a hora de ir, juro que ainda pensei, não um par de vezes, mas sim muitas vezes, se ir ou não ir. Cá está o factor "amor insano". Se se tratasse apenas de mim, não teria decidido e cancelado tantas vezes como o fiz. Mas, como se tratava de levar comigo a pessoa mais importante da minha vida,  o meu filho,  aí já o poder da indecisão pôde comigo. Muito.

Mas fui.
E não tive medo.
Mas confesso que fui muito desconfiada.
Onde encontrei um pouco de paz extra, apesar do cenário não ser o que melhor transmite paz, foi no control feito pela polícia na zona fronteiriça.



E como que, para dar mais ênfase a esta terrível situação que todos vivemos, terminei a viagem passando [involuntariamente ]em frente da embaixada da França aqui no Luxemburgo, sendo este o cenário com que me encontrei. Coerente.



E é assim que vivemos nestes dias que correm...Cabe a Deus decidir o nosso futuro.


Fontes :
Texto e Fotos : Sandra Pereira
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...