segunda-feira, 11 de novembro de 2013

"Conviver" com pessoas com quem não simpatizamos...

Conviver com pessoas com quem não simpatizamos, pode em algum momento ser um suplício.
Para uns pode não supôr nada, nenhum sentimento...enquanto que para outros pode inclusivé causar stress, pânico, tristeza...

São imensas as possibilidades e poucas as soluções!

Há quem viva com isto uma vida inteira e vive-o como se nada, e também há os que vivem com isto uma vida inteira e sempre vivem agoniados.

Quando não se gosta, acredito que dificilmente algum dia "se goste" ou "se venha a gostar".
Pessoalmente, também sou protagonista de algo assim: ter que conviver com alguém com quem não simpatizo e não gosto de maneira nenhuma. E risco o que escrevi atrás, porque na realidade não funciona assim. Eu simplesmente não convivo.
Que me tenho que deparar com essas pessoas? Sim.
Se socializo/convivo com elas? NÃO!

No meu caso é simples. Sejam essas pessoas quem forem, independentemente do seu estatuto e denominação, eu simplesmente sou fiel a mim, à minha maneira de pensar, aos meus sentimentos e à minha integridade.  Acredito que existam pessoas que em situações idênticas, passem por cima de quem são, fazendo muito "teatro", fingindo muito, engolindo muitos sapos, que sejam quem não são....porém, eu, em nenhuma circunstãncia, (e refiro-me a quando realmente não simpatizo com alguém) sou capaz de representar tanto. Nem tanto, nem nada. 

A minha resposta a situações destas: Ignorar.
Felizmente tenho essa grande capacidade. Ignoro a tal ponto de me esquecer que esse tipo de pessoas existem...porque em realidade para mim, simplesmente não existem.
Se sou má? Fria?
Pode ser que sim... depende da óptica de cada um....mas para mim, apenas significa uma coisa: sinceridade. 
Para que vou fingir que gosto de alguém que na realidade não gosto?? 
Para quê fingir que está tudo bem, quando na realidade não existe nada, nem bem nem mal...para quê dar-me ao trabalho de engolir sapos , se não gosto do seu sabor?

Acaso seria mais feliz se fosse boa actriz?
Acaso seria melhor pessoa se fingisse?
Acaso seria "vista com bons olhos" se fosse falsa??

Não condeno ninguém. Não aponto o dedo a ninguém. Todos somos livres de agir e reagir como queremos, como sabemos, como achamos que devemos ou não. Todos somos livres de ser sinceros, falsos, integros, fazer teatro...o que for. Não condeno ninguém. Cada um tem os seus verdadeiros motivos para agir como age. E é este o ponto a que me refiro. Não façamos aos outros aquilo que não gostamos que nos façam a nós. 
Traduzindo:  Da mesma maneira que não vou por aí pedindo, criticando, cobrando, apontando o dedo a como cada um reage com pessoas com quem não simpatizam, também gostaria muito que fosse essa a postura, a base que tenham comigo. Não me peçam para gostar, para ser diferente, para simpatizar, para fazer teatro, para ser falsa, para fingir...Não me peçam nada disso, porque eu nunca vou mudar, por ninguém nem por motivo nenhum. Não se esqueçam que o que me faz feliz a mim, não são as mesmas coisas que vos faz feliz a vocês. E não, não mudo por ninguém, nem vou eu ser a infeliz para outro ser feliz. ainda que esse outro, sejam muitos outros. Porque na realidade, no fundo, tudo são fachadas. E por mais egoísta que possa ser, em primeiro lugar está o meu bem estar emocional e psicológico, porque no fundo tudo se resume a isso: bem-estar emocional.

Se eu estou bem, para quê mudar?

Fontes:
Texo: Sandra Pereira


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...