quarta-feira, 19 de junho de 2013

Enxaqueca: o que é, Tipos de Enxaqueca e Causas.

O que é a enxaqueca?
A enxaqueca caracteriza-se por uma dor que atinge somente um dos lados da cabeça, que pulsa constantemente com intensidade moderada e que tem uma duração média de 4 horas podendo chegar até 72 horas em casos muito graves

Tipos de Enxaqueca:

Enxaqueca sem Aura
A enxaqueca "comum”, talvez mais passível de ser confundida com uma dor de cabeça dita "normal”, causada habitualmente pelo cansaço, stress.

Enxaqueca com Aura
A versão "clássica”, com todos os traços e sintomas que popularmente atribuímos à enxaqueca. Contudo, é o tipo menos frequente de enxaqueca: na verdade, só costuma ocorrer em cerca de 15% dos casos.
A Aura é um sinal de alerta fisiológico, que antecede uma crise de enxaqueca.
Geralmente, manifesta-se sob a forma de perturbações – frequentemente passageiras – da visão (pontos luminosos, "zig-zags”, imagens turvas e até, em alguns casos, perda parcial da visão de um dos lados do campo de visão), mas também podem ocorrer sob a forma, por exemplo, de formigueiros ou dormência numa das mãos ou num lado da face. 

Causas
Ainda não se sabe, exactamente, quais são as causas da enxaqueca. Sabe-se que se deve a pequenas alterações neurológicas e, provavelmente, a factores genéticos. As pessoas com enxaquecas podem "herdar” uma maior susceptibilidade a determinados "gatilhos” que precipitam as suas crises. A fadiga, a luz forte ou pulsante e até as mudanças de tempo são alguns destes factores que as podem despoletar.

Durante muitos anos, pensou-se que as enxaquecas estavam unicamente relacionadas com alterações da pressão nos vasos sanguíneos que irrigam a superfície do cérebro. Hoje em dia, acredita-se que, na verdade, a causa por trás das enxaquecas será neurovascular, e que se deverá, de forma muito sumária, a certas irregularidades genéticas em determinadas áreas do cérebro:

Segundo esta teoria, uma enxaqueca começa quando algumas células hiperactivas comunicam com os vasos sanguíneos, dando "ordens” para que se contraiam e dilatem. Este processo é seguido pela libertação natural de certas hormonas e substâncias inflamatórias, que fazem com que esta "pulsação” (da contracção e dilatação dos vasos) se torne dolorosa e interfira com o normal processamento do cérebro.

Fontes: 
Texto: Sociedade Portuguesa de Cefaleias - www.cefaleias-spc.com/abc.html (acedido em Abril 2011)

WebMd - Migraine and Headaches Health Center - http://www.webmd.com/migraines headaches/default.htm (acedido em Abril 2011)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...