terça-feira, 21 de setembro de 2010

Verdadeiro Amor

NARA

Esta semana, está a revelar-se uma autêntica desolação, em que quanto mais queres que o tempo passe depressa, é quando mais demora a passar.
Já tínhamos percorrido quase 90 Km, quando uma ameaça de furo, nos faz parar o carro em plena auto-estrada. Pensávamos mesmo que era um furo. "Que chatice, Agora ter que mudar um pneu, no meio da auto-estrada, em plena noite escura, merda."
Os palavrões assomavam e acumulavam-se uns atrás dos outros, mesmo que fossem apenas pensados. Depois de verificado e reverificado, não havia furo, mas a verdade é que o barulho, mantinha-se lá, e assim que o carro iniciava a sua marcha, o maldito barulho insistia em acompanhar-nos. "Bolas... Amor sai aqui" Por sorte estávamos a 1Km de uma saída para Mérida.
Voltámos a sair do carro, ver e rever e rever... mas nada viamos. De furo nem sombras e a verdade é que o barulho permanecia. Ainda nos esperavam 320Km até Madrid... Que fazer? Continuar, voltar para trás?
Voltámos, claro está. Era impensável percorrer 320 Km em auto-estrada até Madrid, com aquele barulho a atormentar! Nem sequer ligámos para o seguro, porque embora tivessemos assistência em viagem, tinhamos uma passageira mais no carro, que duvidávamos que algum taxista, se comprometer-se a deixá-la entrar no seu automóvel. A Nara.
A Nara é a minha cachorra, a minha pipoca, a minha bébé!!
De modo que voltámos a Campo Maior, tivemos que trazer um carro emprestado, e claro, o dono do carro, nem sequer pôs em questão se a Nara podia ou não vir conosco para Madrid.Já sabiamos que a resposta não seria positiva, pelo que a minha pipoca teve que ficar em Campo Maior, com a família do meu amor.
Escusado será dizer que vim toda a viagem a choramingar, tenho tido insónias, entre outras situações menos boas, de cada vez me me deparo com os seus brinquedos, as suas coisas espalhadas aqui por casa!
A falta que nos faz um animal de estimação!!
Para muitos não existem, para outros são apenas isso:animais, para outros ainda são o "temos um cão" e pronto.
Mas para outros, como eu, o animal de estimação, o cão, é mais do que isso, é família, é parte integrante e importante da minha vida, da minha família, do meu modo de viver.
Sem ela, sem a Nara a minha vida é mais triste, e deslocada. Aqui em casa, estes dias tem-se sentido muito a sua falta. O não ouvir a sua respiração, o seu ressonar,o barulho que as suas patinhas fazem ao movimentar-se aqui pela casa,os seus pedidos de atenção, os seus ladridos para com o vizinho de quem não gosta...enfim.
Ela é a imagem pura de amor por mim e eu por ela. Gostamos e sentimos muito a falta uma da outra. Neste momento está em Campo Maior, triste a sentir a minha falta, a pedir mimos e atenção a quem dela se aproxime.
AMA-ME INCONDICIONALMENTE e eu sinto o mesmo por ela, amor, carinho, protecção, segurança, sentimentos puros e verdadeiros que por vezes és incapaz de sentir por certas pessoas...

terça-feira, 7 de setembro de 2010

CONFIANÇA

BORBOLETAS


As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as dela.

Temos que nos bastar... nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos consciencializar  de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de algo.

Com o tempo vamos percebendo que para ser feliz com a outra pessoa,  precisamos em primeiro lugar, não precisar dela. Perceber também que aquela pessoa que amamos (ou achamos que amamos) e que não demonstra esse amor que necessitamos, definitivamente, não é o homem ou a mulher de nossa vida.
Temos que aprender a gostar de nós, a cuidar de nós, e principalmente a gostar de quem gosta de nós.
Em primeiro lugar estamos nós próprios. Só assim, se nos amarmos e aceitarmos tal como somos, poderemos aceitar o que os outros têm ou NÃO para nos dar

"O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até nós".

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

A mudança custa.
Todos temos medo da mudança, porque a verdade é que ás vezes quanto mais mudamos, mais as coisas permanecem iguais.Porém ás vezes mudar é tudo! Mudar é o início de um novo ciclo da nossa vida, e tudo o que é preciso é acreditar. Acreditar na mudança e nos benefícios que podem vir com ela ao mesmo tempo que sabemos retirar o essencial do seu lado negativo, porque crescer dói. Mas só assim crescemos na plenitude interior e exterior e consequentemente ficamos mais fortes embora não o notemos no momento, mas sim numa próxima oportunidade em que teremos que demonstrar o que valemos e provar que o que vivemos no passado nos será útil nesse momento.
Tenho crescido todos os dias, pois todos os dias me deparo com situações ás quais muitas vezes não tenho uma resposta adequada para dar, e então chego a casa, muitas vezes derrotada pelas dificuldades do meu dia, basta olhar para dentro de mim, para a minha vida para perceber que a vida afinal tem cor, tem bons momentos, tem alegria e que mudar afinal é sempre muito melhor do que permanecer na monotonia e rotina que cada um de nós cria em nosso redor, como que uma armadura para não sermos atingidos pelo sopro da vida.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...